Inquietude para encontrar novos modelos marca 2018 do Sinapro-RS

De acordo com Fernando Silveira, foi um ano de espera e manutenção do negócio.

Em entrevista ao Coletiva.net, o presidente do Sindicato das Agências de Propaganda do Rio Grande do Sul (Sinapro-RS), Fernando Silveira, afirmou que 2018 foi um ano de espera e de manutenção do negócio. “Não tivemos grandes investimentos, mas uma inquietude para encontrar novos modelos”, disse, ao revelar a busca da entidade para o meio da Publicidade voltar a ser mais competitivo e relevante para os clientes. Esses, para ele, também estão em busca de inovação.

Com a base de associados praticamente inalterada, o Sinapro-RS consolidou, para o presidente, o papel da entidade frente ao poder público em diversas áreas. O destaque, contudo, é o respeito aos editais de escolha das agências. Fernando ainda ressaltou a ampliação de benefícios aos associados, bem como a forte discussão em relação à Reforma Trabalhista. “Estamos de olho no que isso traz de novidades para os negócios de nossos associados. A partir disso, prospectando o lançamento de uma base para o novo Acordo Coletivo da categoria que seja vantajoso pra todos”, abordou.

Apesar da entidade não ter o objetivo de lucrar, olha para o mercado da Publicidade com o desafio de faturar de uma nova forma. “Não podemos mais contar com as verbas administradas por anunciantes. Portanto, é necessário se centrar no quanto as agências estão contribuindo para o crescimento, rentabilidade e ROI dos clientes”, opinou o presidente, ao contar que mudaram o parâmetro, além de estarem dispostos a aprender a olhar esses novos números de uma forma mais positiva.

Este ano ainda foi de intenso trabalho da diretoria, que se encerra após três anos de gestão. Com Fernando novamente à frente do Sinapro-RS, ele conta que um novo grupo se compromete a dar continuidade a um trabalho de evolução da entidade, bem como da indústria como um todo. “Acho que a palavra é expectativa pelo novo momento que se desenha. Mudança sempre foi a grande oportunidade de novos negócios para o nosso mercado e terminamos o ano esperançosos”, refletiu.

Para 2019, o presidente comentou também que há uma vontade geral para que o Brasil volte a crescer. E, com isso, gere consumo, emprego e renda. Segundo Fernando, isso está intimamente ligado à área e, certamente, trará grandes oportunidades para o meio. “Bons ventos nos levarão a novos mares. É uma expectativa otimista, mas dá pra acreditar em realizar”, finalizou.

Nova Diretoria Gestão 2019-2021

Ata de Eleição da Diretoria 2019- 2021, conforme estatuto da entidade.

 

É com imenso prazer que o SINAPRO-RS apresenta sua nova diretoria, que assumirá em 1° de janeiro de 2019, agradecemos a todos pela dedicação à entidade e desejamos muito sucesso nesta nova fase!

 

Nominata Diretoria Gestão 2019-2021

 

PRESIDENTE: Fernando Silveira (Integrada)

VICE-PRESIDENTE: Juliano Hennemann (SPR)

TESOUREIRA: Aira Franciosi (Moove)

SECRETÁRIO-GERAL: Delmar Gentil (Brivia Dez)

 

CONSELHO FISCAL:

Rodrigo Dipp (Escala)

Karine Assis (Paim)

Roberto Philomena (Matriz)

Rodrigo Rey (Conjunto)

Luciano Marques (Duplo)

Juliana Oliveira (Órbita)

Uma agência da década de 1940

Até o fim dos anos trinta e  início dos anos 40 a publicidade brasileira não passava  de um bando de franco atiradores, onde levavam a melhor, aqueles que ofereciam mais vantagens e benefícios para os comerciantes, que também, por sua vez, não tinham bons resultados para o dinheiro gasto. “Se vendiam alguma coisa, era porque havia muita gente querendo comprar as novidades que surgiam a todo instante. Ainda assim, era comum o empresário reclamar que “gastara” uma fortuna em reclames e avisos mal elaborados por seu pessoal de vendas e por corretores de anúncio que mal sabiam fazer alguma coisa nesse sentido. E os resultados eram sofríveis.

Felizmente em 1943 um movimento dos principais mercados brasileiros resolveu organizar a atividade e assim criaram os Sindicatos de Agências de Publicidade e, de lá para cá a publicidade se desenvolveu a ponto de conquistarmos espaço dentre o que se faz de melhor na comunicação mercadológica  de todo o mundo. Isso sem falar no desenvolvimento que o negócio da publicidade gerou em todos os mercados do Brasil.

Mas, lamentavelmente o que vemos hoje, no bojo da reforma trabalhista  é um movimento no sentido de tornar os Sindicatos de Agencias os Sinapros,  em alguma coisa dispensável, sem levar em consideração os benefícios que a organização dos Sindicatos trouxe para as empresas e para o pais como um todo.

A manutenção dos Sindicatos de Agencias é tão importante que não podemos aceitar passivamente que o pagamento de sua parca  contribuição anual seja transformada em um item simplesmente opcional. Para tanto existe agora uma contribuição equivalente à que se pagava anteriormente para que os nossos Sinapros possam continuar prestando serviços à categoria. É uma contribuição alternativa à Contribuição Sindical que se tornou opcional.

As atividades mantidas pelos  Sinapros são de extrema importância para toda a categoria, seja no trabalho de orientar as agências em assuntos complexos como licitações, orientações sobre assuntos relativos a tudo o que ocorre em matéria de legislação, como direito autoral, trabalhista, tributária etc. Os Sinapros organizam eventos didáticos e  profissionais, como oficinas de gestão de agencias, eventos sobre relacionamento entre clientes e agências, participam da edição de livros específicos sobre a atividade e muito mais.

Ao contrário do que acontecia nas décadas de 1930/40, nós hoje somos profissionais do maior respeito em todos os mercados do pais e do mundo.

Não desista do seu Sinapro ou Sua agência pode se transformar numa daquelas dos velhos tempos. A escolha é sua.

Humberto Mendes

Fenapro – Fed. Nac. das Agências de Propaganda

Agência de Propaganda: Protagonista da Nova Ordem.

(Ou: Como garantir alguma luz no caos, contando com um parceiro efetivamente estratégico)

Ok, ok, tentativas não faltaram, arautos do apocalipse não se cansaram de decretar sua morte, mas, sinceramente, até agora não inventaram nada que – nem de longe – substituísse uma Agência de Propaganda.

Vamos por partes:

Se o Demo – em carne, osso e enxofre – tivesse arquitetado um mundo de incógnitas não teria conseguido erigir o caos mercadológico que nos cerca:

Nunca antes os produtos foram tão iguais.

Nunca antes a distribuição foi tão poderosa.

Nunca antes o consumidor pudesse consumir em tantos meios.

Nunca antes tanto lixo foi produzido sob o rótulo de conteúdo.

Nunca antes as pessoas consumiram tanta mídia.

Nunca antes os consumidores foram expostos a tantas variações, marcas e linhas de produtos.

Nunca antes tanto se falou sobre tão pouco.

Nunca antes tanta bobagem resultou em marketing inócuo, que só enfraqueceu marcas e fortaleceu polêmicas (Ad-Fraudes; Programática; Transparência de Google & Facebook; Etc.)

“A Internet deu voz a um bilhão de imbecis!” – Umberto Eco

Neste cenário – que faz arder as chamas do desperdício – do dinheiro colocado na “sabedoria” dos algoritmos (sic!), no ciclo de “nadismo” que resulta para a marca em investimentos em éter digital, eis que o que pode fazer a diferença é ela, a boa, velha e destemida Agência de Propaganda.

 Vejamos:

Um mapa estratégico de marca? É atribuição de uma Agência de Propaganda.

Mapa concorrencial? Ninguém trata melhor o assunto do que uma Agência de Propaganda, sendo capaz de compor um quadro analítico consistente para definir e entender posicionamentos concorrenciais e propor estratégias para diferenciação e valor.

Projeto de Integração? Ninguém como uma Agência de Propaganda pode se desdobrar e planejar tecnicamente a Gestão da Marca, a Ativação de Vendas, o Marketing Promocional, os Eventos, o Endomarketing, o Design, e até mesmo, orquestrar o Marketing Digital.

(Ah, diga-se de passagem antes dos corporativistas enfurecidos de plantão, que orquestrar, meninos, não é necessariamente fazer).

Assim, contratar uma Agência de Propaganda é ter uma interlocução inteligente sobre os reais problemas que podem mudar seu futuro, é ter com quem falar sobre seus concorrentes de maneira organizada e séria.

É ter com quem pesquisar seus clientes, segmentar sua forma de atuação, realizar a análise de dados, pensar nas melhores formas de atendê-los, rever seus serviços, discutir como agregar valor a seus produtos.

(Uma boa Agência de Propaganda consegue, inclusive, explicar-lhe o que significa “Agregar Valor!” que tantos falam, mas poucos dominam)

Mas tem algo que só uma Agência de Propaganda faz:

Propaganda.

De verdade.

Aquela que funciona. Que emociona. Que conecta. Que ao final de uma peça muda a percepção de marca. A que gera preferenciação e valor. A que diferencia. A que toca. A que se transforma em resultados.

“Publicidade é a maior força transformadora do mercado. É o poder da ideia que se materializa em ação do consumidor.” – Marc Pritchard – CMO da Procter & Gamble – a saber o maior anunciante do mundo

Uma Agência de Propaganda é uma estrutura única.

Não existe outra operação no mundo com tantas pessoas ligadas à criatividade aplicada aos negócios.

São pessoas que acordam pensando em como seduzir os consumidores, que vão dormir pensando em como gerar marcas fortes e, no meio tempo entre uma coisa e outra, ajudam dedicadamente os seus clientes a venderem mais e venderem melhor.

São profissionais que valorizam a ideia, passam o dia atrás de ideias, só conversam sobre ideias que podem diferenciar a sua empresa da mesmice dos mercados, ideias que de tão envolventes atingem direto o coração, o cérebro e o bolso dos consumidores.

E, o mais importante, ideias que criam marcas fortes.

Dúvidas sobre a o que uma marca forte pode fazer pelo seu negócio?Contrate uma Agência de Propaganda!

Ela certamente lhe explicará que marcas fortes são consideradas, preferidas, escolhidas, compradas e recompradas. E isto tudo fugindo das disputas pelo preço mais baixo.

Em tempos de crise, marcas fortes respondem melhor a promoções, sendo as últimas a sentir crises e primeiras a sair delas.

Marcas fortes trazem orgulho. Orgulho traz os melhores profissionais. Melhores profissionais fazem os melhores produtos e serviços. E isto tudo se resume em Valor.

“Temos uma grande base histórica, temos muito do que nos orgulhar. Nosso trabalho – como nenhum outro – move a economia, cria mercados, muda percepções, adiciona valor, impulsiona marcas, reflete a sociedade, impacta e muda a vida das pessoas.” – Nancy Hill – Ex-CEO da AAAAs

É por isso que não tenho medo do futuro de nosso negócio.

Afinal, quando pensamos em qual o limite do que podemos fazer pelo cliente;

Em como podemos impactar a sociedade;

Em como podemos aplicar a criatividade em negócios;

Em como podemos ser criativos em posicionamentos estratégicos;

Chegamos à conclusão que as oportunidades estão aí.Quase infinitas.

Baseado nisto, entendo que, embora com todas as tentativas (algumas delas com êxito) de destruição do valor da atividade, sinceramente, até agora não inventaram nada que – nem de longe – substituísse uma Agência de Propaganda.

Luciano Vignoli é Diretor-Presidente da e21 e da ROC – Result Oriented Consultancy – o braço de consultoria da e21

Texto também publicado no site www.coletiva.net

http://www.coletiva.net/artigos/agencia-de-propaganda-protagonista-da-nova-ordem,274232.jhtml

Balanço 2016: Sinapro-RS capta 15 novas agências e amplia a aproximação com os associados

Em um 2016 marcado por grave crise econômica, enquanto muitos vêem os cortes como única saída, os números relacionados à propaganda mostram como ela pode ser uma oportunidade. De acordo com estudo desenvolvido pela Deloitte, cada R$ 1 gasto em publicidade gera, em média, R$ 10,69 para o conjunto da economia. Para se ter uma ideia, cada aumento de 1% no investimento publicitário resulta em uma variação de 0,07% no Produto Interno Bruto (PIB) per capita.

Apesar de todas as dificuldades econômicas deste ano, o SINAPRO-RS (Sindicato das Agências de Propaganda no Estado do RS) esteve focado em dar suporte às agências associadas, também responsáveis por toda essa movimentação financeira. Mais do que a conquista de 15 novos sócios – seis no interior e nove em Porto Alegre – ou o alcance de resultados financeiros, o presidente do Sinapro-RS, Fernando Silveira, define como central a participação mais próxima dos associados. “Fizemos vários eventos e conseguimos perceber não só a presença das grandes agências, mas também das pequenas. Esse foi o nosso maior ganho”, avalia. O Encontros Sinapro-RS é uma amostra disso. Realizado em novembro, ele foi uma oportunidade para que os associados pudessem conhecer em detalhes as vantagens oferecidas em ser um filiado e como elas descomplicam a rotina com as soluções que apresentamos. Em 2017, novas edições estão por vir.

Além dos mais de 20 itens de serviços já oferecidos, este ano a instituição trouxe uma novidade importante: o seguro de responsabilidade civil. O objetivo é permitir que as agências contem com um auxílio em situações de erro humano ou acidentes de outra natureza (como a impressão de material com grafia equivocada, erro de diagramação ou ainda o extravio de uma peça gráfica) e possam minimizar os gastos envolvidos. Silveira acredita tanto neste modelo que, para ele, o benefício logo vai deixar de ser uma exclusividade do Sinapro do Rio Grande do Sul. “Nas próximas reuniões com os Sinapros de outros estados, pretendo mostrar o quanto este benefício é vital para as agências e reforçar, em números, porque é interessante buscar mais adesões”, completa. Na lista de benefícios oferecidos aos associados também estão as parcerias com universidades para realização de cursos (com valores até 15% menores), pesquisas de mídia (que saem pela metade do preço), além de promoções em licenças da Adobe (até 30% mais baratas) e pacotes da Getty Images (com valor 20% mais baixo).

Mas quando se trata de um sindicato, as questões políticas também não podem ficar de lado. O dissídio, por exemplo, teve um debate muito amplo, com participação decisiva do Sinapro-RS nas negociações. “A gente entende que o mercado só é forte se conseguirmos compreender que ele é feito por agências e por publicitários. Ou seja, ambos precisam participar e discutir”, ressalta Silveira.

A partir de uma iniciativa política da instituição, as agências de publicidade do Rio Grande do Sul também conquistaram uma importante vitória no mês de junho. Em resposta a uma ação coletiva movida pelo Sinapro-RS em 2014, o Superior Tribunal Federal (STF) decidiu que as empresas estão liberadas do recolhimento da contribuição previdenciária de 15%, incidente sobre a nota fiscal ou fatura de serviços prestados por cooperativas de trabalho. Além disso, ficou determinado ainda o resgate do montante recolhido desde 2009. Mais uma vez, aqui foi decisiva a aproximação com os associados. A fim de orientar sobre os procedimentos legais necessários para que os valores fossem restituídos, o Sinapro-RS chamou a todos para um evento explicativo, o 3º Meeting Tributário. A iniciativa contou com a presença da assessoria jurídica da equipe da Rafael Pandolfo Advogados Associados.

Outro destaque foi a nova Tabela de Valores Referenciais de Serviços Internos lançada na Semana ARP de Comunicação, criada pela instituição para servir de parâmetro aos valores praticados pelo setor, órgãos públicos e agências. O documento, atualizado anualmente, ganhou 50 novos itens nesta edição, a maior parte deles dedicados à área de Planejamento, principal novidade da cartilha. Foi uma construção coletiva, com a presença de grupos de planejamento e atendimento, do Clube de Criação e dos apoiadores Grupo Sinos, Dinamize, Rádio União FM e Impresul.

Em busca de um mercado cada vez mais qualificado, com profissionais preparados para assumir a liderança de agências inovadoras, o Sinapro está desenvolvendo, em parceria com a ESPM-Sul, o programa Super Estágio. Os cinco primeiros selecionados tiveram a oportunidade de escolher entre as melhores agências do Rio Grande do Sul para vivenciar a rotina de um profissional da área. “O Sindicato foi credenciado pelo MEC a fazer o agenciamento de estagiários. É algo que a gente pretende ampliar para outras universidades, oferecendo a oportunidade de fazer parcerias. A gente acredita nesse modelo de academia com a prática”, destaca o presidente.

O road show A Propaganda em Análise, uma parceria com a Federação Nacional das Agências de Propaganda (Fenapro), realizado em março, no auditório Caixeiros Green, trouxe a Porto Alegre os resultados de dois importantes projetos realizados pela Fenapro e os Sinapros: a “Pesquisa Nacional de Perfil das Agências de Propaganda” e o “Design Thinking Propaganda”. Neste ano, a principal conclusão foi de que o cenário de retração e de transformações provocadas pelas tecnologias digitais está dinamizando o modelo de atuação das agências, com novos serviços, além do reposicionamento de estratégia e do formato de remuneração. Isso tudo com objetivo de reconquistar sua percepção de relevância junto aos clientes e crescer em novas frentes de negócios.

Para 2017, novos desafios já surgem no horizonte. O objetivo é realizar um número maior de encontros e trazer o associado, cada vez mais, para dentro do Sindicato, conforme adianta Silveira. “Teremos maior foco em eventos voltados para a gestão, o que vai muito além do financeiro ou do administrativo, como é comum imaginarmos. O atendimento faz gestão, o criativo faz gestão. Enfim, nós queremos deixar o espaço aberto, o associado pode convocar reunião com o presidente, com a diretoria. Queremos sempre ajudar”, ressalta.

Fernando Silveira avalia ainda que, mesmo timidamente, o próximo ano deve oferecer condições mais positivas ao Brasil. “Que a economia parou de cair acho que já se percebe, precisamos agora fazer força para tentar levantar o vôo e sair de tão próximo do solo. Obviamente não teremos milagre, mas talvez seja o momento de planejarmos os próximos passos para o futuro”, finaliza.

Diretoria

Presidente: Fernando Silveira (Integrada Comunicação Total)

Vice-Presidente: Delmar Gentil (Sistema Dez)

Diretora Financeira: Ligia Lyrio (Martins+Andrade)

Secretário-Geral: Arthur Bender (Selling)

Conselho Fiscal

Alberto Freitas (Matriz)

Alexandre Silva (Competence)

Alexandre Skowronsky (Global)

Juliano Brenner Hennemann (SPR)

Liana Bazanela (DeBRITO)

Miguel De Luca (Escala)

Fonte: O Sul, 19/12/2016

Link: http://www.osul.com.br/balanco-2016-sinapro-rs-capta-15-novas-agencias-e-amplia-a-aproximacao-com-os-associados/