PESQUISA DA FENAPRO: OTIMISMO DAS AGÊNCIAS CAI, MAS AINDA É PREPONDERANTE EM TODO O BRASIL

Levantamento realizado junto a 171 agências de todo o País mostra uma leve melhora na performance do 2º trimestre, em relação ao 1º trimestre de 2018, mas o otimismo começa a ceder no curto prazo, revertendo uma curva ascendente de trimestre a trimestre.  Índice de otimismo com 2018 ainda é positivo, porém apresenta queda constante em relação aos trimestres anteriores.

 

 A pesquisa VAN Pro (Visão de Ambiente de Negócios em Agências de Propaganda) é uma iniciativa da FENAPRO – Federação Nacional das Agências de Propaganda. Desde o início de 2017, a federação começou a coletar dados de empresários de agências de propaganda de todo o Brasil, visando acompanhar trimestralmente o clima para desenvolvimento de negócios e as expectativas do setor ao longo do ano.

Os resultados obtidos nesta mostra foram coletados no início de julho deste ano e refletem a performance das agências no 2º trimestre, além das perspectivas para o próximo quarto e o ano de 2018, como um todo.

De uma maneira geral, percebe-se uma leve, mas surpreendente melhora quanto ao realizado no 2º trimestre: 47% dos respondentes declararam uma melhora de desempenho no 2º trimestre e 27% sentiram uma estabilidade. Apenas 26% declararam piora. Para o próximo trimestre, a maioria permanece otimista, mas em índices menores do que os observados no trimestre anterior. 37% dos respondentes esperam um 3º trimestre melhor do que o segundo, contra 31% de pessimistas. Os que não esperam nem melhora, nem piora é da ordem de 32%. A região mais otimista com o próximo trimestre é a NE, com 42% esperando melhora. Já o estado mais otimista no curto prazo é o Espírito Santo, com 63% das agências capixabas esperando melhora.

Já o índice de otimismo em relação ao ano de 2018, como um todo,  se mantém, mas apresenta queda medição a medição. 51% dos respondentes ainda esperam um ano melhor do que 2017. 27% têm a expectativa de um ano igual ao anterior e 22% são pessimistas. Vale observar que o número de pessimistas, apesar de minoritário, dobrou em relação à mostra anterior: de 11 para 22%. Os estados mais otimistas são Espírito Santo, com 75% esperando um ano melhor, Bahia e Santa Catarina, ambos com 64% das agências otimistas com relação a 2018. O mais pessimista é Goiás com apenas 20% de otimistas e 60% de pessimistas.

O quadro de Concorrências e Licitações se manteve praticamente inalterado com índices semelhantes aos do trimestre anterior.

Quanto aos setores da economia mais promissores, houve uma inversão: a área de Serviços passou a ser aquela com maior potencial de crescimento (em relação a gastos com propaganda), seguida do Comércio (1ª colocado no trimestre anterior). E a Indústria desbancou o Setor Público, ficando em terceiro lugar nesta medição.

 “Os resultados dessa tomada, relativa ao 2º trimestre de 2018, mostra um quadro de cautela por parte das agências. O otimismo quanto ao futuro, tanto no curto prazo, como em relação ao ano, se mantém, mas com um pé atrás. As agências de propaganda, assim como os demais setores da economia, anseiam por sinais de estabilidade política e econômica.”, diz Glaucio Binder, presidente da Fenapro.

 

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *